sexta-feira, 30 de abril de 2010

Leve ingressos para o Gamma Ray

A banda alemã de heavy metal Gamma Ray chega ao Brasil na próxima semana. Liderado pelo guitarrista e vocalista Kai Hansen, o quarteto chega para divulgar To The Metal, seu mais novo álbum de estúdio.

O show acontecerá em São Paulo, no dia 9 de maio, às 18h30, no Santana Hall.
Os ingressos custam R$90 e já podem ser comprados através do site http://www.ticketbrasil.com.br/.

O Pilha na Vitrola, em parceria com a Rádio Corsário, vai dar dois pares de ingresso para o show.

Leva o primeiro par de ingresso, o primeiro que disser corretamente através do e-mail vinicastelli@gmail.com, o nome de 3 álbuns do Gamma Ray.
Junto, envie nome completo, RG, telefone e cidade de residência.

Os ingressos serão retirados na porta da casa no dia do show.

Santana Hall - av. Cruzeiro do Sul, 2737. São Paulo.

(próximo ao metrô Carandiru e Santana) Fone: (11) 2221-0855

http://www.ticketbrasil.com.br/
Ingressos no ABC - Metal Cds - (11) 4994-7565

Soundgarden: de volta e ensurdecedor

Rumores sobre possíveis reuniões de bandas há tempos desmanchadas acontecem o tempo todo.

No caso do Soundgarden, não foi apenas rumor.
O vocalista e ex-Audioslave Chris Cornell, o guitarrista Kim Thayil - hoje com barbas brancas - , o baterista Matt Cameron e o baixista Ben Shepherd, subiram ao palco pela primeira vez em 13 anos para mostrar seu poder de fogo.

A apresentação, sob o nome de Nude Dragons, aconteceu no último dia 16, em um pequeno clube da cidade de Seattle.

A banda aproveitou para reviver clássicos dos anos 1990. Entre eles, Rusty Cage, Beyond the Whell, a excelente Fell On Black Days e Nothing to Say.

Mesmo com os compromissos que Matt Cameron terá com o Pearl Jam, o Soundgarden conseguiu se programar para participar do festival Lollapalooza, em Chicago, em agosto deste ano.

Assista trecho do show da votla do Soundgarden.

Novo de Ozzy Osbourne

Ozzy Osbourne, lendário vocalista inglês, divulgou a capa e o track list de seu novo álbum. Scream tem lançamento previsto para 15 de junho. Scream é o décimo trabalho de estúdio do Madman e o primeiro em três anos.

A produção fica por conta de Ozzy e Kevin Churko, que também assinaram a produção de Black Rain, álbum anterior de Ozzy.
Scream apresenta Gus G, guitarrista convocado para o lugar de Zakk Wilde. Ozzy conta também com o baixista Blasko, Tommy Clufetos na bateria, além do tecladista Adam Wakeman.

Let me Hear You Scream, novo single do álbum, teve sua estréia durante capítulo da série CSI: NY, e já alcança o topo das paradas norte-americanas.


Set List do disco:
Let It Die
Let Me Hear You Scream
Soul Sucker
Life Won't Wait
Diggin’ Me Down
Crucify
Fearless
Time
I Want It More
Latimer’s Mercy
I Love You All

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Gamma Ray vem ao Brasil

Regida pelas mãos do guitarrista Kai Hansen, a banda alemã de heavy metal Gamma Ray chega ao Brasil na próxima semana. O show acontecerá às 18h30 do dia 9 de maio no Santana Hall, em São Paulo.

Os ingressos custam R$90 e já podem ser comprados através do site http://www.ticketbrasil.com.br/.

Na única apresentação que fará pelo País, o grupo aproveita para divulgar o excelente álbum To The Metal, décimo trabalho de inéditas do quarteto. Além do Brasil, o Gamma Ray passa também pela Colômbia, Equador, Peru, Chile e Argentina.

Além de Hansen, o Gamma Ray é formado também pelo baixista Dirk Schlächter, pelo guitarrista Henjo Richter e pelo baterista Daniel Zimmermann.

Kai Hansen, ex-guitarrista e vocalista do Helloween, lidera o Gamma Ray há 20 anos. Nesse período, o grupo ganhou destaque com álbuns como Heading for Tomorrow, No World Order e sua obra prima Land of the Free, lançado em 1995.

Para a apresentação, não deverão faltar músicas como No Return, All Of The Damned, Last Before The Storm, além de músicas do novo trabalho.

O Pilha na Vitrola, em parceria com a Rádio Corsário, vai te dar amanhã um par de ingresso para o show do Gamma Ray em São Paulo.

http://www.santanahall.com.br/
http://www.ticketbrasil.com.br/
Ingressos no ABC - Metal cds - (11) 49947565

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Charlotte Gainsbourg em nova obra

Carregar um sobrenome de peso como faz a filha do cantor francês Serge Gainsbourg requer sobretudo, muita responsabilidade. A cobrança por parte do público é natural. Mas Charlotte Gainsbourg vem se saindo bem em sua empreitada musical.

Com IRM, seu novo trabalho, (Warner Music, R$30 em média) a cantora e atriz que causou polêmica em 2009 por seu papel ao lado de Willem Dafoe no filme O Anticristo, traz a ajuda de Beck nas novas composições.
Além de assinar quase todas as canções, o músico também foi responsável pela produção do disco.

Com exceção da canção Le Chat du Café des Artistes, única cantada em francês, o álbum traz uma atmosfera suave e delicada.

Basta escutar os primeiros segundos das canções Master´s HandIRM, para perceber que a marca registrada do disco são os suaves ruídos e os pequenos arranjos que o recheiam do início ao fim.

Heaven Can Wait traz Beck divindo os vocais com Charlotte.
Calcada na influência do músico, a canção é sem dúvida um dos grandes destaques da obra.

O álbum tem dois pontos fracos, a cansativa Vanities e Greenwich Mean Time, que poderia muito bem ter ficado de fora do disco.
Por outro lado, IRM compensa como a retrô Me and Jane Joe, e com a belíssima Time of the Assasins, composição que já vale a obra.

Assista ao clipe de Heaven Can Wait

terça-feira, 27 de abril de 2010

Virada Cultural recheada




Hoje foi divulgada a programação da Virada Cultural da Capital paulista. E ela está recheada de atrações. Para os roqueiros há o Mothers of Invention, antiga banda de Frank Zappa, a Big Brother & The Holding Co., grupo que acompanhou Janis Joplin, além de Living Colour e de L.A. Guns.


Para quem curte outros estilos, acontecerão apresentações de Airto Moreira, Céu, Toquinho e Paulo Vanzolini (foto), entre outros. Além disso, também haverão palcos temáticos para samba, reggae e música eletrônica.



Para conferir todos os shows e se preparar para a maratona, clique aqui, em uma matéria publicada na Folha OnLine.

Paez elétrico e animado

Após um hiato de dois anos, Fito Paez dá continuidade a sua discografia. O músico colocou em Confiá (Sony Music, R$25 em média), suas doze novas canções.

Através do novo trabalho, o compositor argentino resgata o rock e a eletricidade de sua guitarra, que haviam sido esquecidos em Rodolfo, seu trabalho anterior de estúdio lançado em 2007.

A canção Confiá abre o álbum, traz além da guitarra, bons arranjos de metais. 
O disco tem canções dançantes com ritmos animados como M&M, por exemplo.

Com produção de Mariano López, o novo trabalho teve trechos concebidos na Argentina, Estados Unidos e também no Brasil. Alguns gravados no Rio de Janeiro e também em Trancoso, na Bahia.

A canção que esquenta o álbum é La Nave Espacial, ponto alto entre as composições. Outro destaque fica por conta da animada Fuera de Control.
Paez passeia pelo pop em El Mundo de Hoy e diminui o passo com a balada London Town.

Mesmo não sendo o melhor trabalho de Paez, Confiá mostra que após 26 anos do lançamento de seu álbum de estréia, o músico ainda tem fôlego para compor boas canções. Vale a pena escutar!

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Pearl Jam caliente

Cino anos após sua gravação, chega às prateleiras o registro Pearl Jam In Santiago (Coqueiro Verde Records R$ 29,90, em média).

Ao completar 15 anos de vida, o Pearl Jam excursionou pela primeira vez pela América do Sul. O registro deste DVD mostra show realizado em novembro de 2005, mesmo mês em que vieram ao Brasil.

O público que lotou o estádio San Carlos de Apoquindo, na capital chilena, vibrou durante as duas horas de show junto de Eddie Vedder e cia.limitada.

Com clássicos do início ao fim, a banda oriunda de Seattle fez apresentação recheada de energia.
Vedder exerce o cargo de homem de frente com perfeição, arrisca frases em espanhol e lidera o grupo com maestria.

O som das guitarras de Stone Gossard e Mike McCready é pesado, soa forte ao vivo ao lado da harmonia do baixista Jeff Ament.

Given to Fly dá início ao espetáculo. Even Flow, Jeremy, Alive e Black, clássicos do álbum de estréia da banda, quase deixam o público sem voz.

Mas não foi só com as músicas conhecidas de todos que o Pearl Jam aqueceu o show. Além da pancada Do the Evolution, do álbum Yield, o show passeia por outros discos do grupo. Immortality, Whipping e a belíssima Better Man, representam o álbum Vitallogy com respeito.
Destaque do show, o ex-baterista do Soundgarden Matt Cameron faz juz ao psto que ocupa com ótima performance. Canções do álbum Vs também não faltaram, entre elas Animal e Rearviewmirror, por exemplo.

Para fechar o show com chave de ouro, duas canções que já são praticamente patrimônio do Peral Jam também. I Believe in Miracles dos Ramones e a clássica Rockin ´in the Free World, gravada originalmente por Neil Young.

UFO em solo brasileiro

Importante nome do rock internacional, o grupo inglês UFO chega ao Brasil pela primeira vez em 40 anos de carreira.

O show marcado para o dia 26 de maio, às 20h, no Carioca Clube, em São Paulo, faz parte da turnê que apresenta The Visitor, novo álbum da banda. Os ingressos custam entre R$100 e R$150. Não há mais entrada para estudante.

Formado em 1969, quando o rock borbulhava em transormações, o UFO lançou álbuns indispensáveis aos fãs do gênero.

Recheados de riffs e solos poderosos, figuram entre os clássicos discos nomes como Phenomenon, Force It, o sensacional No Heavy Petting, Lights Out e Obsession, por exemplo.

O UFO foi responsável por projetar Michael Schenker, um dos dos maiores guitarristas que o mundo já viu. Da formação clássica tão conhecida nos anos 1970, ainda fazem parte do grupo o vocalista Phill Mogg, o baterista Andy Parker e o guitarrista e tecladista Paul Raymond.

A responsabilidade antes assumida por Michael Schenker, que segue carreira solo, hoje fica por conta do excelente músico norte-americano Vinnie  Moore.

Para o set list brasileiro, não deverão faltar canções como Mother Mary, Too Hot To Handle Love To Love, além das canções do novo álbum.

Serviço UFO: 26/05, as 20:00hs - Carioca Club
Rua Cardeal Arcoverde, 2899 - Pinheiros.
Telefones: (11) 3813-8598 / 3813-4524
R$100 (Pista) R$150 (Mesanino)
Ingressos: http://www.awo-mkt.com/

sábado, 24 de abril de 2010

Mothers of Invention no Brasil

Criadores de uma coleção de músicas absolutamente inovadoras, o grupo Mothers of Invention, que por anos acompanhou o lendário Frank Zappa, faz apresentação em São Paulo, no Inferno Club dia 13 de maio. O valor dos ingressos ainda não foi divulgado.

O grupo surgido ainda nos anos 1960, inovou junto de Zappa ao explorar jazz, música clássica e ruídos, dos mais estranhos. Tudo isso misturado ao rock.

Entre os álbuns clássicos estão Freak Out!, Weasels Ripped My Flesh, We´re Only in it for the Money e Absolutely Free. O Mothers apresentou ao mundo músicos como Roy Estrada, Don Preston e Napoleon Murphy Brock.

Após 30 anos da dissolução do grupo, os Mothers se reuniram para uma homenagem ao saudoso Frank Zappa na Alemanha. Desde então, o grupo voltou definitivamente aos palcos, apresentando seus clássicos, como Freak Out, Roxy &Amp e Baby Snakes por exemplo.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

E o circo apresenta Michael Jackson

Foi assinada uma parceria entre os representantes do patrimônio do cantor Michael Jackson e o Cirque du Soleil.

Com estréia prevista para o final de 2011, em Las Vegas, o espetáculo baseado na obra do músico terá custos divididos igualmente entre o Cirque du Soleil e os representantes da música de Jackson.

O acordo assinado dá ao circo os direitos de usar canções e a imagem do músico durante os próximos 15 anos.

Guy Laliberté, fundador do Cirque du Soleil disse que "Michael Jackson é o rei do pop e foi um artista fenômenal. O Cirque du Soleil preparará um espetáculo como jamais fizeram".

O Cirque du Soleil já elaborou espetáculos baseados na obra dos Beatles e também sobre o lendário rei do rock Elvis Presley.

Michael Jackson morreu aos 50 anos de idade em 25 de junho de 2009, deixou em sua obra registros clássicos como os álbuns Off the Wall, Thriller, Bad e Dangerous, por exemplo.

Assista aqui ao vídeo do Cirque du Soleil.
Para mais informações visite:
http://promo-www.cirquedusoleil.com/michael-jackson/en/index.html

Megadeth: última chamada

O Megadeth, grupo liderado pelo guitarrista Dave Mustaine, se apresentará em São Paulo.

O show marcado para amanhã, às 22h no Credicard Hall, deve promover as canções de Endgame, seu mais novo álbum de inéditas.
Os ingressos custam entre R$ 250 e R$90.

Com o baixista original Dave Eleffson de volta ao grupo, Mustaine aproveita para comemorar os 20 anos do lançamento de Rust in Peace.

O clássico álbum do Megadeth colocou de vez o grupo na linha de frente das bandas importantes do gênero.

A turnê de estréia de Rust in Peace rendeu a primeira visita do grupo ao Brasil, durante o festival Rock in Rio II, em 1991.

Para dar mais peso ao som do grupo, Mustaine e Eleffson contam ainda com o guitarrista Chris Borderick e o baterista Shawn Drover. 

A banda nascida na California em meados dos anos 1980, possue em seu cardápio treze ótimos álbuns de estúdio. Mustaine, mestre em criar riffs de guitarra exatos e poderosos, com certeza não deixará faltar na apresentação canções como Wake up Dead, Take no Prisoners, Tornado of Souls e Symphony of Destruction.
Mais informações:
http://www.ticketmaster.com.br/
Foto1: DivulgaçãoFoto2:Celso Luiz (Megadeth durante show em São Paulo em 2008)

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Mudhoney estende agenda

Aproveitando a vinda ao Brasil por conta das apresentações na Virada Paulista, promovida pelo governo do Estado, o Mudhoney, grupo criador do movimento grunge, aproveita para adicionar outra data em sua turnê brasileira.

Além dos dois shows gratuitos que o Mudhoney fará, o primeiro no dia 22 de maio, às 00h em  Mogi das Cruzes, o outro em São José do Rio Preto, no dia posterior, às 00h, Mark Arm e sua trupê não deixarão a capital paulista de fora.

O palco para a apresentação em São Paulo será o da Clash Clube. O show está marcado para o dia 21 de maio, às 21h. Os ingressos custam R$50.

Esta será a quarta visita do grupo ao Brasil. A banda que completou 20 anos de serviços ao rock em 2008, aproveita para divulgar The Lucky Ones, seu mais recente trabalho de inéditas lançado há 2 anos.
Espontaneamente gravado em apenas 3 dias, The Lucky Ones é seco e agressivo, e figura entre os melhores álbuns do grupo.

Entre os álbuns já compostos pelo grupo de Seattle, um deles ganhou destaque especial no mundo underground. Superfuzz Bigmuff despontou entre os mais vendidos para o público do gênero.

Para os shows no Brasil, canções como The Lucky Ones, I'm Now, When Tomorrow Hits e The Open Mind não devem faltar no set list do grupo.

Mais informações:
http://www.clashclub.com.br/
http://www.viradapaulista.com.br/novo/

Bon Jovi em sua melhor forma

Quando se fala em Bon Jovi, muita gente deve pensar de imediato no visual todo extravagante dos anos 1980 e achar que os músicos produziram apenas alguns hits pegajosos.

Pois esqueça isso! Esqueça também o visual com cabelos 'frufru' e as roupinhas coloridas da época.
Agora imagine o Madison Square Garden lotado, e uma banda de músicos da mais alta qualidade com 25 anos de estrada exibindo seu apetitoso cardápio musical.

É disso que trata o DVD Bon Jovi - Live at Madison Square Garden (Universal Music, R$45 em média).
Acompanhado por seu fiel escudeiro, o talentosíssimo guitarrista e arranjador Richie Sambora, pelo tecladista David Bryan e também pelo baterista Tico Torres, Jon Bon Jovi apresenta neste show gravado em 2008 na cidade de Nova Iorque, a turnê Lost Highway Tour, do álbum Lost Highway, lançado em 2007.

Filmado com 23 câmeras de alta definição, o show é recheado por clássicos de toda a discografia do grupo. Entre as canções mais antigas estão Born to Be My Baby,  Wanted Dead Or Alive e Livin´ on a Prayer, além da melada Bed of Roses.

As não tão antigas It´s My Life e Keep the Faith também estão presentes, esquentam o show e fazem o público delirar.

Um dos destaques fica por conta de Blaze of Glory, impossível não cantar um trecho junto de Jon Bon Jovi.
Os arranjos vocais de Sambora e Bryan deixam as canções com mais brilho. Tico Torres, sem a menor dó de espancar as peles de sua bateria, coloca peso nas canções. 
Outro que se destaca é Sambora, dono de belos solos, o músico busca diferentes timbres de seu instrumento.
Em duas horas de show, fica mais do que claro que se o tempo faz bem para algumas pessoas, podemos incluir Jon Bon Jovi nessa lista.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Nouvelle Vague volta ao Brasil


Após lançar seu terceiro álbum NV 3, o grupo francês Nouvelle Vague volta ao Brasil para três concertos.
A banda se apresentará em São Paulo, na Clash Club, no dia 29 de abril, às 22h30. os ingressos custam R$100.

Além da capital paulsta, o Nouvelle Vague tocará também no Circo Voador, no Rio de Janeiro, no dia 30, e no Mercado Eufrásio Barbosa, em Recife, no dia 1º de maio.

Liderado pelos produtores e arranjadores Marc Collin e Olivier Libaux, o grupo vem acompanhado pelas vozes da belga Helena Nogueira e da brasileira Karina Zeviani.

Além de Helena Nogueira e Karina Zeviani, o grupo traz também Marc Collin (teclado), Thibaut Barbillon (guitarra), Spencer Cohen (bateria) e Valente Bertelli (baixo).

Conhecido do público pelos shows recheados de improvisos e pelas atraentes releituras de clássicos do punk e da new wave em versões bossa nova, o grupo francês trará agora novas roupagens para Road to Nowhere, do Talking Heads, Metal, de Gary Numan e God save The Queen, do The Sex Pistols, além de vários outros clássicos.
 
Formado em 2003, o Nouvelle Vague sempre buscou jovens cantoras de diferentes vertentes da música, e que não tivessem o punk e o new wave em sua bagagem, justamente para que pudessem trazer novos elementos ao som do grupo.

Várias delas ganharam destaque e hoje seguem carreira solo. Marina Celeste, Phoebe Killdeer, e a talentosíssima Camille, são alguns exemplos.

O grupo promoveu em setembro de 2007, no teatro do Sesc Pinheiros, uma bela apresentação diante de casa lotada.
Na ocasião, apresentaram canções de seus dois primeiros álbuns, Nouvelle Vague (2004) e Bande A Part (2006). Juntos, os álbuns venderam bem mais de meio milhão de cópias.

O novo trabalho do grupo tem uma novidade, a banda convidou cantores originais para suas versões. NV3 traz Martin Gore, do Depeche Mode em Master and Servant, Melanie Pain e Ian McCulloch, do Echo And The Bunnymen em All My Colours, entre outros.

Veja aqui trechos de shows do grupo francês.

Para mais informações:
http://www.gigsprodutora.com.br/
http://www.clashclub.com.br/
http://www.circovoador.com.br/
www.twitter.com/mercadodamusica

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Joe Lynn Turner no Brasil


O vocalista Joe Lynn Turner (ex-Rainbow, Deep Purple, Fandango) anunciou uma turnê pelo Brasil, prevista para maio. O artista, que praticamente todo ano tem feito shows por aqui trará sons das bandas por onde passou.


O show de São Paulo acontecerá no dia 28 de maio, no Blackmore Rock Bar. A tour prevê apresentações em Curitiba, Rio de Janeiro, Florianópolis, Porto Alegre e na surpreendente Altinópolis, interior de São Paulo.


Nos últimos meses, Turner dedicou-se a uma reincarnação do Rainbow, ao lado de Jurgen Blackmore (sim, o filho do homem) e outros ex-membros da banda. Clique aqui para ver um vídeo da banda fazendo a clássica Stargazer.

E o Ritz recebe Guns N´Roses

Palco de concertos clássicos, o Ritz, em Nova Iorque, recebeu nos anos 1980 nomes do mais alto escalão da música.
Madonna, Tina Turner, Sting, The Ramones e B.B King, são apenas alguns dos nomes que passaram pela casa.

E foi lá também que o Guns N´Roses assinou uma de suas melhores apresentações já registradas em vídeo.
Guns N´Roses - Live at the Ritz 1988 (Coqueiro Verde Records, R$ 29,90 em média), resgata o grupo californiano em sua melhor fase, quando ainda passavam longe dos desentendimentos que anos mais tarde causariam o rompimento da formação clássica do quinteto.

Baseado em Appetite for Destruction, seu álbum de estréia, o grupo liderado por Axl Rose faz apresentação quente diante de casa lotada. It´s so Easy é apenas a introdução dos quase 60 minutos de puro rock and roll apresentados no concerto.

Mr.Brownstone, Out Ta Get MeMy Michelle, esta última representada com muito peso pelas guitarras de Slash e Izzy Stradlin, são algumas das canções que recheiam o repertório.

Sweet Child O´Mine, como sempre, um dos pontos altos do show, tem um dos melhores solos de guitarra já elaborados pelo guitarrista Slah.  Os improvisos em Rocket Queen, mostram o grupo descontraído e muito bem entrosado.
O DVD traz ainda como bônus, os clipes de Patience, Don´t Cry e November Rain.

Sem firulas e sem tecnologias, Live at the Ritz é rock, simples e cru.
Assista aqui trechos do show.

Nitrominds: Novo e grátis


Em meio aos shows que grupo de hardcore andreense Nitrominds fez durante o ano passado, a banda ainda conseguiu tempo para ensaiar versões de vários outros grupos que fazem parte de sua bagagem musical.

O resultado desse trabalho acaba de ficar pronto. Kill Emo All (Independente), traz 16 canções.
Entre as escolhidas está Survive, do lendário grupo norte-americano de thrash Nuclear Assault. A versão ganhou inclusive elogios de Dan Lilker, baixista e fundador do grupo.

Outras composições de peso também fazem parte da nova empreitada, Surf Nicaragua, do Sacred Reich, e Kill Yourself, do S.O.D. Esta última conta com a participação de João Gordo, do Ratos de Porão.
O álbum traz também uma versão 'a la Nitrominds' para Next to You, do The Police.

Kill Emo All também conta com a participação do guitarrista Jão, do Ratos de Porão na música Crianças sem Futuro. Rodrigo, do Dead Fish também contribui em News From The Front, originalmente gravada pelo Bad Religion. 

Outra grande novidade, é que o grupo disponibilizou o download gratuito de todo o disco através do seu site no myspace.

Vá em www.myspace.com/nitrominds para baixar gratuitamente o novo trabalho do grupo na íntegra.

domingo, 18 de abril de 2010

Mais opções para ver o Aerosmith

A apresentação que o grupo norte-americano Aerosmith fará em São Paulo no dia 29 de maio, no campo do Palestra Itália, já está com os ingressos quase esgotados.

Apenas as opções Pista e Pista premium estão disponíveis, e somente para o valor cheio.
Entradas para estudantes estão esgotadas em todos os setores.

O grupo que quase chegou ao fim após discussões que pareciam intermináveis entre o vocalista Steven Tyler e o restante da banda, vem ao Brasil na turnê Cocked, Locked, Ready To Rock Tour.

Para quem não conseguir assistir ao show de São Paulo, a boa nova é que o Aerosmith cancelou a apresentação que faria em Buenos Aires, na Argentina, no dia 27 de maio, por conta do show que fará no Rio Grande do Sul na mesma data.

O quintento se apresentará em Porto Alegre, no estacionamento da FIERGS, às 22h. 
Os ingressos para a apresentação em Porto Alegre estarão disponíveis para venda a partir do dia 26 deste mês.
Esta será a terceira visita do grupo ao Brasil.

Ingressos para o show em Porto Alegre: http://www.ingressorapido.com.br/
Ingressos para o show em São Paulo: http://www.ticketmaster.com.br/

sábado, 17 de abril de 2010

Novo de Sá, Rodrix e Guarabyra ganha vida

Quando falamos de Sá, Rodrix e Guarabyra, falamos de cultura nacional da mais alta importância.

Gravado em 2008, ano anterior a morte de Zé Rodrix, o álbum Amanhã (Roupa Nova Music, R$ 25 em média) finalmente vê a luz do dia, e retoma o trabalho que havia sido interrompido em 1973, após sua separação.

Com doze canções inéditas, Amanhã parece ter parado no tempo enquanto o mundo rodava, apenas esperando o dia certo para nascer.

O piano ímpar de Rodrix, a viola de aço Sá e os arranjos vocais inconfundíveis do trio fazem deste álbum uma bela viagem.
Recheado de poesia e arranjos, Amanhã traz o clássico rock rural criado pelo grupo em meados dos anos 1970.

Sonho Triste em Copacabana, Dia do Rio e a bela Logo Eu, Saudade, poderiam facilmente ter entrado em qualquer outro disco já gravado por Sá, Rodrix e Guarabyra.

Amanhã acaba de chegar, e mesmo novo em folha já vai deixando saudades, selando com chave de ouro a história de um dos trios mais importantes que a música já viu.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Nick Simper quase no Brasil

A agenda de shows deste ano foi recheada até agora por boas apresentações de grande, médio e pequeno portes.
E ao que tudo indica, vai no mínimo se manter assim.

É por isso que os fãs do lendário baixista Nick Simper podem começar a comemorar.

Uma possível visita do músico em terras brasileiras no mês de junho está praticamente fechada.
Simper pode se apresentar em São Paulo ainda na primeira semana de junho.

Para acompanhar Simper, foi escalado o vocalista Doogie White, ex-Rainbow, White se apresentou no Brasil no ínício deste ano.  A participação de músicos brasileiros também está sendo negociada.

O músico de 64 anos foi o primeiro baixista do grupo de rock britânico Deep Purple.

Com a banda, Simper assinou os três primeiros álbuns do grupo, Shades of Deep Purple, The Book of Talyesin e Deep Purple. Todos ao lado do vocalista Rod Evans.

Simper também gravou dois outros álbuns clássicos na história do rock com a banda Warhorse. Warhorse e Red Sea, ambos os discos são cultuados por fãs de rock em todo o mundo até hoje. Simper também assinou álbuns com o Quatermass, além de outros projetos de menor porte.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Peter Steele morre aos 48 anos

Morreu na noite de ontem (14), em Nova Iorque, o compositor, vocalista e baixista do grupo norte-americano Typo O Negative Peter Steele.

Rumores já estavam circulando hoje pela manhã na internet, mas a notícia só foi confirmada nesta tarde. A causa da morte ainda não foi divulgada.

Nascido em 1962, no Brooklin, em Nova Iorque, o músico ganhou destaque pela voz grave.

Com o Type O Negative, Steele gravou   seis álbuns de estúdio, dois deles, Bloody Kisses e October Rust foram sucesso de vendas.



Festival de verdade


O Download Festival, que será realizado na Inglaterra em julho, é o que podemos chamar de festival de verdade. O evento substitui na forma e na quantidade de atrações o antigo Monsters of Rock.


Para a edição deste ano a principal atração será o AC/DC, que fará uma apresentação comemorando os 30 anos do Monsters. O show terá a abertura do Wolfmother e do Them Crooked Vulture.


O segundo dia do festival terá como headliner o reformado Rage Against the Machine, tendo como outras atrações o Megadeth, Lamb of God e Deftones.


Já o terceiro e último dia terá como principal show o Aerosmith. Mas as outras bandas não ficam devendo, já que Motorhead, Stone Temple Pilots, Slash, Saxon e Ratt também são grandes atrações.


Os outros palcos do Download terão bandas como Procupine Tree, Stonesour e Tyketto.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Pop rock maduro e cheio de surpresas

Mesmo com a infinidade de artistas que surgem o tempo todo, não é tão fácil encontrar trabalhos de destaque nas estantes de música.

Mas este não é o caso de Amy Macdonald, escocesa de rosto delicado e grandes olhos verdes.
Com apenas 22 anos, a cantora, violonista e compositora acaba de tirar do forno A Curious Thing (Universal Music, R$25, em média), seu segundo trabalho.

Amy lançou-se no mercado com This is Life, trabalho que rendeu bons frutos. Com o disco de estréia, Amy atingiu o topo das paradas britânicas.

A Curious Thing provavelmente tomará o mesmo rumo de seu antecessor. Amy assina todas as composições e traz um disco maduro, com letras interessantes.

O disco traz uma mescla de pop e rock, tem canções delicadas, todas aveludadas pela bela voz da cantora, que vez ou outra faz lembrar a cantora Dolores O´riordan, do The Cranberries.

Amy abre o disco com o rock Don´t tell me that it´s Over, canção lapidada com suaves arranjos de metais.
A alegre Spark, e a dançante No Roots dão continuidade ao álbum em bom clima.
My Only One é delicada, e recheada de belos arranjos.

A ótima produção fica por conta de Pete Wilkinson. O produtor também gravou piano, teclados e cuidou dos arranjos no álbum.

É fácil começar a cantar Love Love logo após escutar o primeiro refrão "Oh love love i´´ve known it from the start/Oh i wish that i could tell you/Oh i wish that i could say/That my heart is yours in every single way"
Nesta composição, Amy traz uma participação muito especial. Paul Weller, ex-The Jam assina o piano e o baixo.
O músico participa ainda como guitarrista da faixa This Pretty Face.

Amy guardou ainda uma deliciosa surpresa para o final. Sem estar creditado no disco, o clássico Dancing in the Dark, originalmente gravado por Bruce Springsteen ganha aqui sua versão voz e violão.
Basta esperar alguns instantes após o final da última canção.
É possível também ter acesso a conteúdo bônus ao colocar o cd no computador.

A Curious Thing não é datado, tampouco moderninho, é apenas boa música.

Assista aqui ao clipe da canção Don´t Tell Me That´s It´s Over

terça-feira, 13 de abril de 2010

The Wall ao vivo e a cores

Um dos mais importantes álbuns produzidos pelo grupo britânico Pink Floyd ganha nova turnê.

O ex-Pink Floyd Roger Waters anunciou que sua próxima excursão será baseada em The Wall, clássico álbum que acaba de completar 30 anos de seu lançamento. Waters tocará o álbum na íntegra.

O músico já havia feito shows tocando na íntegra outro álbum importantíssimo da história da música, na ocasião, o disco escolhido havia sido The Dark Side of the Moon.

O show que dá o pontapé inicial na turnê de The Wall acontece no dia 15 de setembro, em Toronto, Canadá.
Além do Canadá, Waters passará também pelos Estados Unidos, onde encerrará a turnê, na cidade de Anaheim, em dezembro.

Além dos shows de lançamento do álbum, realizados entre 1980 e 1981 pelo Pink Floyd, as canções de The Wall foram execuatdas também pelo próprio Roger Waters em 1990, por conta da queda do muro de Berlin.

Podemos esperar shows apoteóticos, de estruturas gigantescas. Quem sabe o Brasil não entre na lista em uma possível segunda perna da turnê!!!

Preciosidade para lá de especial


Meados dos anos 1970, a cidade de nova-iorque fervia com o aparecimento de novos grupos de rock.

Os garotos daquela época eram influenciados pela guitarra insana de Jimi Hendrix e por grupos britânicos como The Who, por exemplo.

A música ganhava um rosto mais ácido, e as bandas abusavam da sonoridade nas canções.
Na sua maiora apareciam no formato 'power trio', formadas apenas por um baterista, um baixista e um guitarrista.

 O fato é que enquanto alguns grupos levam anos para amadurecer, outros parecem já nascer prontos para a arte.
Três garotos que tinham tudo para ganhar o mundo formaram um grupo de rock.
O nome? Dust.

Richie Wise, garoto que além de cantar, tocava guitarra e violão, junto do baixista e arranjador Kenny Aaronson e do baterista Marc Bell, que futuramente seria conhecido pelo nome Marky Ramone, foram responsáveis por dois dos mais grandiosos álbuns de rock já gravados até hoje.

Outro garoto prodígio foi Kenny Kerner, compositor e praticamente um quarto integrante da banda.
Ambos os álbuns da banda levam seu nome na maioria das composições, sempre em parceria com a banda.
Kerner assinou também a produção, junto de Richie Wise.
Parceria que dois anos mais tarde produziria os dois primeiros discos do Kiss.

Com onze canções excelentes, Dust, o álbum de estréia foi lançado em 1971 através do selo Kama Sutra Records.
É hard abusado, com ótimos arranjos vocais e melodia de baixo impressionante.

Fica impossível não citar também o trabalho do baterista de 16 anos. Sim, na época Marc Bell era apenas um garoto.
Nunca, jamais subestime um músico pela sua simplicidade, o trabalho de Marc Bell no Dust nada se parece com o de Marky Ramone nos Ramones!!!

Mesmo com as baixas vendas do primeiro álbum, os três garotos se empenharam em outra empreitada com o Dust.
Nasceu Hard Attack, segundo e último trabalho do grupo. Também lançado pela gravadora Kama Sutra, em 1972.

Só há uma maneira de embarcar em Hard Attack: Coloque o disco para tocar, feche a porta e ouça com toda a atenção do mundo. Você encontrará arranjos dignos de salva de palmas ao final de cada canção.
Fica difícil destacara uma canção ou outra, quando todas são nota 10.
Então fica aqui a dica, escute os 2 álbuns, de cabo a rabo.
Sucesso não é sinônimo de qualidade, sabemos muito bem disso, ainda mais nos dias de hoje!!

segunda-feira, 12 de abril de 2010

W.A.S.P esquenta São Paulo

Após uma hora de atraso, havia uma dúvida na cabeça de todos que estavam na enorme fila que dava a volta no quarteirão do Santana Hall, em São Paulo, no último sábado (10).
"Será que terá show?".

Afinal de contas, a apresentação do W.A.S.P marcada para a noite anterior em Curitiba havia sido cancelada em cima da hora por motivos até agora desconhecidos.

Mas nem mesmo o frio, todo o atraso e o cansaço pela longa espera fizeram com que o público movesse os pés dali.
O show do grupo norte-americano marcado para às 18h30 finalmente teve início às 20h30.

A lendária banda de rock nascida nos anos 1980 fez com que o público tirasse os apetrechos roqueiros do armário para participar da apresentação. Camisetas do W.A.S.P, cintos de rebite, cabelos com penteados dos mais diversos, calças de onçinha e tudo mais o que os fãs tinham direito podiam ser vistos na platéia.

Com casa lotada, a canção que abriu o espetáculo foi On Your Knees, do primeiro álbum do grupo.
Impecável, a regulagem do som fez com que tudo soasse perfeito.
Único da formação original do grupo, o vocalista e guitarrista Blackie Lawless, acompanhado por Mike Duda (baixo), Mike Dupke (bateria) e Doug Blair (guitarra), comandou então sua versão para a canção Real Me, originalmente gravada pelo The Who.

Com banda para lá de entrosada, Lawless deu início a outro clássico. L.O.V.E Machine quase colocou o lugar abaixo.
A turnê serviu para divulgar também Babylon, mais novo disco do grupo. Crazy, canção que abre o novo trabalho tem refrão pegajoso, e foi cantada por boa parte dos presentes.
As canções de Babylon seguem a boa cartilha de Lawless. Vocais poderosos, guitarra pesada e cozinha coesa. Babylon´s Burning veio em seguida.

Wild Child, tema de abertura de The Last Command,  um dos discos mais conhecidos do W.A.S.P, foi o ponto alto do show. O refrão "I'm a wild child, come and love me/I want you, My heart's in exile I need you to touch me, foi cantado em uníssono.

Hellion, outra do álbum de estréia também agradou a todos. Figurão, Lawless pouco falou com o público, andava de um lado ao outro do palco, sempre gesticulando algo.

O W.A.S.P é conhecido também como o grupo que faz regravações impecáveis de bandas que serviram como bagagem musical.
I Don´t Need no Doctor, música que virou hit com Ray Charles em 1966, ganhou versão pesada ainda nos anos 1970 com o grupo Humble Pie. A canção, impecável através da voz de Lawless, também fez parte do set list.
Com a trinca Chainsaw Charlie (Murders in the new Morgue), a belísisma The Idol e I Wanna be Somebody, a banda fechou o set list da noite.

Ainda houve tempo pra o bis. Com o grupo de volta ao palco, os músicos assinaram Heavens Hung in Black e fecharam com a clássica Blind in Texas.

Aos 54 anos, mais de 20 no mundo musical, Blackie Lawless ainda possui vozeirão, tem boa performance e faz show na medida certa. Além é claro, de produzir ótimos discos.
No fim, todos cansados, mas felizes. Sorte de quem conseguiu assistir!

Come Taste the Band saindo do forno


A remasterização do álbum Come Taste the Band do Deep Purple, terminou há algum tempo. E finalmente o resultado do trabalho conduzido pelo baixista e vocalista Glenn Hughes, que teve a participação de David Coverdale e foi concluído pelo produtor Kevin Shirley, chegará aos fãs.


A nova versão do trabalho, único com o falecido guitarrista Tommy Bolin, é dupla e contém um single raro da banda - vendido apenas nos Estados Unidos - e duas faixas inéditas. Uma delas uma jam de Ian Paice com Bolin e a outra um trecho mais curto, de três minutos.


Por enquanto, apenas o site Deep Purple Appreciation Society está vendendo o material, que virá por tempo limitado com clipping de matérias veiculadas sobre o álbum na imprensa americana entre 1975 e 1976.

domingo, 11 de abril de 2010

Pacote pesado e ardido

Alguns dos riffs mais conhecidos e queridos do AC/DC estão reunidos em um só pacote.

AC/DC Video Clip Collection (Coqueiro Verde Records, R$32 em média) traz um apanhado dos vídeos do grupo australiano.

Nos 56 minutos de rock ardido do grupo, poderão ser vistos algumas filmagens da primeira fase do grupo, gravadas ainda nos anos 1970, com o vocalista Bon Scott.

Entre as canções selecionadas desta fase estão Dirty Deeds Done Dirt Cheep e Jailbreak, vídeo clássico do grupo filmado em uma pedreira nos arredores de Melbourne. Jailbreak foi um dos primeiros vídeos que tiveram uso de explosivos na produção.

Back In Black, What you do for Money Honey e You Shock me all Nigh Long, representam o início da segunda fase do grupo, todas do álbum Back In Black, primeiro com Brian Johnson nos vocais.

Além da pesada Flick of the Switch, clássicos como Shake Your Foundations, Who Made Who e Hard as a Rock também podem ser conferidos, em alto e bom som.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Blackie Lawless chega ao Brasil, e quem vai ver é você!

Clássicos como I Wanna Be Somebody, L.O.V.E Machine e Blind in Texas, entre outros, tudo misturado ao teatro promovido por Blackie Lawless. É o que promete a lendária banda de rock norte-americana W.A.S.P, que acaba de pousar em terras brasileiras.

O grupo chega ao País para divulgar Babylon, seu mais recente trabalho de inéditas.

No curriculo do quarteto, álbuns indispensáveis para qualquer fã do rock 'old scholl' oitentista, entre eles, The Last Command e Inside the Eletric Circus, por exemplo.

A banda se apresentará amanhã, às 18h30, no palco da casa paulistana Santana Hall. Os ingressos custam R$89,99, e podem ser adquiridos através do site http://www.ticketbrasil.com.br/

O Pilha na Vitrola, em parceria com a Rádio Corsário, vai dar dois pares de ingressos para a apresentação. Os ganhadores que participaram da promoção são:

Tatiana Pagamisse Soares, de São Bernardo do Campo.
Ela foi a primeira a responder o nome dos 3 primeiros álbuns do grupo.

A outra ganhadora foi Marcela Letícia Gobo, de Santo André.
Ela respondeu o nome de duas das canções regravadas pelo grupo durante os três primeiros álbuns do W.A.S.P 

Obrigado a todos que participaram.
Ingressos no ABC: Loja Metal Cds (11) 4994-7565

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Anberlin é boa dica

Uma mescla de boas melodias vocais, trechos pesados de guitarra, arranjos de violão e vez ou outra até piano, e tudo com bom gosto!

É exatamente isso o que você vai encontrar em New Surrender (Universal  Music, R$29 em média) , mais recente álbum do grupo Anberlin.

A banda que acaba de passar pelo Brasil para divulgar seu trabalho, é uma das mais importante da cena alternativa norte-americana.
Com três álbuns lançados de forma independente, o grupo nascido na Flórida, Estados Unidos, lança o primeiro disco através de uma grande gravadora.

Muitos dizem que o Anberlin é uma banda cristã, fato negado pelo vocalista Stephen Christian.
Cristãos ou não, o grupo investe em letras conscientes. Tratam de assuntos humanitários como prevenção da AIDS, ou o tráfico de pessoas.

Mesmo com temas delicados, o disco soa bem, cheio de energia, beira o pop em alguns momentos.
Os destaques ficam por conta de Breaking, Disappear, da suavidade de Younglife, e da pesada Feel Good Drag.

New Surrender pode agradar, vale a pena escutar.

Vagas de trabalhos na internet: Moda, tecnologia, meio ambiente e muito mais