domingo, 22 de dezembro de 2013

Nile - Carioca Club - São Paulo - 21/12/2013

Em seu retorno à capital paulista, o Nile fez uma apresentação extremamente pesada, executando músicas de toda a sua carreira e principalmente do novo cd "At the Gate of Sethu". Confira a nossa galeria de fotos exclusivas deste show.

Fotos: Ronaldo Chavenco

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

De La Tierra - entrevista

Algumas das grandes virtudes da música são sua independência e a possibilidade de troca de experiências. Não há limites. E é exatamente isso o que alguns músicos de países da América do Norte e do Sul resolveram fazer. O nome da empreitada é De La Tierra. Entre os que cuidam dela está um brasileiro de São Bernardo: o guitarrista do Sepultura Andreas Kisser.
Como homem de frente o projeto conta com um argentino, Andrés Giménez, da banda Dmente e ex-A.N.I.M.A.L. Completam o time o contrabaixista argentino, Sr.Flavio, do Los Fabulosos Cadillacs, e o baterista Alex González, do mexicano Maná.
O projeto começou a ser pensado há mais de oito anos entre os amigos Giménez e González. Mas apenas no ano passado, em Buenos Aires, que as coisas começaram a andar de fato. Agora, as ideias saíram do papel, ganharam vida e se tornaram um disco, homônimo, que chega às prateleiras no dia 14 de janeiro pelo selo Warner Music.
De La Tierra não é pop e tampouco traz elementos eletrônicos. É metal, orgânico, pesado, furioso, bem pensado e cantado em espanhol. O disco já conta com um single, a faixa Maldita Historia, que virou videoclipe. Frases brutais de guitarra servem de palco para contrabaixo e bateria coesas serem ilustradas pela voz rasgada e rouca de Giménez.
O nome, De La Tierra, faz referência ao fato de os músicos serem do mesmo continente –, foi ideia do brasileiro. Kisser conta que esse projeto nada tem a ver com empresários. “É coisa nossa mesmo. Fiquei feliz em fazer parte disso”, diz.
O álbum chega com 11 composições que falam de temas referentes às Américas Central e do Sul. “Falamos de religião, política, da nossa história, de extraterrestres, dos astecas, dos maias. Falamos da latinidade. Acho que serve para quebrar preconceitos, para que saibam quão especial é nossa poesia, nossa arte em geral”, afirma o guitarrista.
Apesar da agenda corrida por conta dos outros trabalhos, os músicos se dedicaram e encontraram tempo para mais essa viagem. “O tempo é relativo. Deu para conciliar com as gravações do disco do Sepultura. Apareceu a oportunidade e eu não podia deixar passar. Acho que é saudável tocar com pessoas diferentes. Gosto de tocar com músicos de outros estilos. Tudo é música”, afirma o compositor.
Ansioso para subir com a nova banda aos palcos, o que deve acontecer entre março e abril, o cantor argentino diz que é motivador empreender algo novo. “Amamos a música, então temos que desfrutar. Não quero ter arrependimentos por não fazer”, conta.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Kiss volta aos primórdios da carreira

Os roqueiros Paul Stanley e Gene Simmons, líderes e formadores da banda roqueira norte-americana Kiss, resolveram contar os primórdios e o surgimento do famoso grupo mascarado. Nothin To Lose – A Formação do Kiss (Benvirá, 560 págs. R$ 44,90 em média) chega às prateleiras assinada também pelo escritor Ken Sharp, autor de mais de dez títulos sobre música.
A biografia do grupo que completou 40 anos de estrada mergulha em sua época embrionária e fala do encontro de seus líderes, em 1972, pouco antes formação do Kiss, com a banda Wicked Lester até o ano de 1975, data em que o conjunto realmente passou a se tornar conhecido por conta do lançamento do disco duplo Alive!.
As páginas contam do encontro também dos outros dois integrantes, Ace Frehley e Peter Criss, da criação de suas maquiagens e dos primeiros ensaios e apresentações em Nova York e Nova Jersey.
Para contar de todos os perrengues e façanhas o livro usa e abusa de belas fotos e de diversos depoimentos. Além de Frehley e Criss, roadies, donos de bares, ajudantes e amigos da época, além de músicos de bandas parceiras e concorrentes soltam pérolas curiosas.  

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Quer ver o Ivan Busic de graça?

Ivan Busic, consagrado como baterista do Dr. Sin, faz o show de lançamento do seu primeiro álbum solo no Manifesto na sexta, 13 de dezembro.

Esse é o primeiro registro oficial em CD de Ivan Busic como vocalista solo. O nome do CD veio após, quase todas as pessoas que o ouviam durante as gravações, exclamarem que seria maravilhoso escutá-lo numa estrada. Por isso o trocadilho ROCK AND ROAD.

O Pilha na Vitrola, em parceria com a produtora do show, vai dar um par de ingressos para a apresentação. Para participar, responda por qual razão devemos te dar um par de ingressos. A resposta mais criativa leva as entradas. Receberemos e-mails até 13h de sexta-feira. Mande sua resposta com nome e RG para viniciuscastelli@dgabc.com.br 

Obs.: Não nos responsabilizamos por quaisquer problemas como cancelamento do evento ou problemas de ingresso. 

Show: Ivan Busic - Lançamento do CD Rock and Road
Data: Sexta-feira (13/12)
Horário: 22h (Abertura da casa)
Local: Manifesto Bar
Endereço: Rua Iguatemi, 36 – Itaim Bibi – São Paulo

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Steve Vai - Citibank Hall - São Paulo - 08/12/2013

O grande Steve Vai retornou à São Paulo como parte da turnê "Story of Light South America Tour" e fez um show muito divertido e cheio de surpresas. Confira a nossa galeria de fotos exclusivas deste show.

Fotos: Ronaldo Chavenco

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Quem vai ver o Almah de graça.

Um dos representantes do metal brasileiro no mundo, o Almah traz toda a experiência e versatilidade do cantor, compositor e produtor musical Edu Falaschi, ex-vocalista do Angra, que já vendeu mais de um milhão de discos pelo mundo em sua carreira de 25 anos.

O grupo se apresenta sábado, em São Paulo, no Manifesto Bar. As entradas custam de R$ 50 a R$ 100 e podem ser compradas nas bilheterias da casa ou pelo site www.ticketbrasil.com.br.

Pilha na Vitrola em parceria com a produção do show vai dar um par de ingresso para quem enviar a melhor resposta para a pergunta 
O que o Almah representa para o metal? 

O ganhador do par de ingresso é Fernando Souza de Santana. 
Obrigado a todos que participaram. Fiquem atentos para as futuras promos de ingressos.

Obs.: Não nos responsabilizamos pelo cancelamento da apresentação ou por quaisquer outros problemas.

Serviço
Show: Almah - Nova turnê do álbum Unfold
Data: Sábado (07/12)
Horário: 18h (Abertura da casa)
Local: Manifesto Bar
Endereço: Rua Iguatemi, 36 – Itaim Bibi – São Paulo
Classificação etária: 16 anos

Ingressos
Pista promocional: R$50,00
Camarote promocional: R$100,00
Vendas: Manifesto Bar

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Quer ver o Almah de graça?

Um dos representantes do metal brasileiro no mundo, o Almah traz toda a experiência e versatilidade do cantor, compositor e produtor musical Edu Falaschi, ex-vocalista do Angra, que já vendeu mais de um milhão de discos pelo mundo em sua carreira de 25 anos.

Em 2013 o grupo começou a trabalhar no quarto álbum de inéditas, intitulado “Unfold”. O material foi gravado no Brasil e mixado/masterizado pelo produtor françês Damien Rainaud no Darth Mader Music em Los Angeles, Califórnia/EUA. A arte da capa foi desenvolvida pela artista carioca Nathalia Suellen (Lady Symphonia).

O grupo se apresenta sábado, em São Paulo, no Manifesto Bar. As entradas custam de R$ 50 a R$ 100 e podem ser compradas nas bilheterias da casa ou pelo site www.ticketbrasil.com.br.

O Pilha na Vitrola em parceria com a produção do show vai dar um par de ingresso para quem enviar a melhor resposta. 
O que o Almah representa para o metal?

Envie a resposta para o e-mail viniciuscastelli@dgabc.com.br até as 15h dessa sexta-feira. Não esqueça de mandar nome completo, RG e telefone.

Obs.: Não nos responsabilizamos pelo cancelamento da apresentação ou por quaisquer outros problemas.

Serviço
Show: Almah - Nova turnê do álbum Unfold
Data: Sábado (07/12)
Horário: 18h (Abertura da casa)
Local: Manifesto Bar
Endereço: Rua Iguatemi, 36 – Itaim Bibi – São Paulo
Classificação etária: 16 anos
Ar-condicionado
Acesso a deficientes

Ingressos
Pista promocional: R$50,00
Camarote promocional: R$100,00
Vendas: Manifesto Bar

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Paul McCartney nas prateleiras

Após seis anos sem um disco de inéditas o britânico Paul McCartney lança um solo de estúdio. Batizado New (Universal Music, R$ 33,90 em média), o novo trabalho do ex-beatle conta com produção diversa. Além dele próprio, assinam a produção Paul Epworth, Mark Ronson, Ethan Johns e Giles Martin.
A voz inconfundível e ainda poderosa do músico de 71 anos embala 14 composições que misturam sonoridades. O músico abusa, sai da zona de conforto mais uma vez e vai além. Temas como Save Us, faixa que abre a obra, traz diversos efeitos e ao mesmo tempo remete aos trabalhos que fez nos anos 1980.
Temas como Alligator misturam guitarras ao som acústico dos violões, tudo isso com excelente trabalho vocal. É claro que as canções folk, orquestradas pelas cordas desplugadas estão presentes, caso de One Way To Work e Early Days.
O disco chega às prateleiras embalado em caixa digipack e traz livreto recheado por fotos em preto e branco e pelas letras das canções. 

domingo, 1 de dezembro de 2013

Angra - Espaço Victory - São Paulo - 30/11/2013

Angra_EspaçoVictory_2013_01Angra_EspaçoVictory_2013_02Angra_EspaçoVictory_2013_03Angra_EspaçoVictory_2013_04Angra_EspaçoVictory_2013_05Angra_EspaçoVictory_2013_06
Angra_EspaçoVictory_2013_07Angra_EspaçoVictory_2013_08Angra_EspaçoVictory_2013_09Angra_EspaçoVictory_2013_10Angra_EspaçoVictory_2013_11Angra_EspaçoVictory_2013_12
Angra_EspaçoVictory_2013_13Angra_EspaçoVictory_2013_14Angra_EspaçoVictory_2013_15Angra_EspaçoVictory_2013_16Angra_EspaçoVictory_2013_17Angra_EspaçoVictory_2013_18
Angra_EspaçoVictory_2013_19Angra_EspaçoVictory_2013_20Angra_EspaçoVictory_2013_21Angra_EspaçoVictory_2013_22Angra_EspaçoVictory_2013_23Angra_EspaçoVictory_2013_24
Angra - Espaço Victory - São Paulo - 30/11/2013, a set on Flickr.

Em sua última apresentação no ano, o Angra voltou à São Paulo e contando com os vocais de Fabio Lione (Rhapsody of Fire, Vision Divine) fez uma apresentação matadora. Confira a nossa galeria de fotos exclusivas deste show.

Fotos: Ronaldo Chavenco

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Krisiun faz show gratuito em São Paulo

Um dos nomes mais respeitados do metal mundial, o Krisiun volta a se apresentar em São Paulo. O grupo faz show gratuito, neste domingo (24/11), às 16h, Centro Cultural da Juventude – CCJ.
 
Os ingressos deverão ser retirados com antecedência, preferencialmente uma hora antes da abertura do local. Será entregue apenas um bilhete por pessoa, mediante apresentação do RG. A banda Nervochaos, que lançou o box comemorativo “17 Years of Hate”, será a responsável pela abertura do evento.
 
Entre seus clássicos estão “Kings of Killing”, “Bloodcraft”, “The Will to Potency”, “Blood of Lions”, “Combustion Inferno” e “Vicious Wrath”.
 
Confira o videoclipe da música "The Will to Potency" em www.youtube.com/watch?v=97fiImWsQY0.
Data: 24 de novembro de 2013
Local: Centro Cultural da Juventude – CCJ (ao lado do Terminal Cachoeirinha)
End: Av. Deputado Emílio Carlos, 3641 - Imirim / Vila Nova Cachoeirinha
Banda convida: Nervochaos
Início dos shows: 16h30
Término dos shows: 20h
Entrada Franca
Ingressos: retirada a partir das 15h (1 por pessoa diante apresentação do RG)
Censura: 18 anos

Poisonblack: turnê do novo álbum passará pelo Brasil

A turnê de promoção do novo álbum da banda finlandesa Poisonblack Lyijy, passará pelo Brasil com um show no dia 23 de novembro (sábado), a partir das 18h no Manifesto Bar, em São Paulo (SP).

Esta será a segunda apresentação do grupo formado por Ville Laihiala (vocal, ex-Sentenced), Antti Leiviskä (guitarra), Antti Remes (baixo), Tarmo Kanerva (bateria) e Marco Sneck (teclado). Além de apresentar as músicas de "Lyijy", como "Home Is Where The Sty Is" – primeiro single do novo trabalho –, o grupo tocará sons de toda sua carreira, de "Escapexstacy" (2003), "Lust Stained Despair" (2006), "A Dead Heavy Day (2008)", "Of Rust and Bones" (2010) e "Drive" (2011).

A abertura fica por conta da Banda Silent Cell que é marcada pelos instrumentais elaborados em riffs pesados, com ênfase em efeitos eletrônicos e nos graves, vocais com linhas que alteram entre o gutural, gritado e melódico. O resultado é uma atmosfera sombria e pesada, envoltas em letras que lidam com demônios pessoais e temas difíceis, que poucas bandas da atualidade se atrevem a utilizar.   

Show: Poisonblack
Abertura: Silent Cell
Data: Sábado (23/11)
Horário: 18h
Local: Manifesto Bar
Pista promocional: R$80,00
Camarote promocional: R$160,00
Vendas: Manifesto Bar e Mutilation Records (Galeria do Rock)

sábado, 16 de novembro de 2013

Gilby Clarke - Galeria de Fotos - Carioca Club - 15/11/2013

Gilby Clarke (ex-guitarrista do Guns N´Roses) voltou à São Paulo e contando com a ilustre presença de Andria Busic e Ivan Busic (Baixista e Baterista do Dr.Sin), executou um set baseado em musicas de sua carreira solo além de covers do Guns e dos Rolling Stones e fez uma ótima apresentação. Abaixo você pode conferir a nossa galeria de fotos exclusivas deste show.

Fotos: Ronaldo Chavenco

sábado, 9 de novembro de 2013

Outros lançamentos



Korn - Se a ideia da banda Korn era retomar o poderio das guitarras então acertou em cheio. O novo trabalho, The Paradigm Shift (Universal Music, R$ 28,90 em média), traz 11 composições com afinação grave e exalando energia. A mistura vocal que vai do gutural ao suave ainda é marca registrada. Entre os destaques estão as pesadas What We Do e It’s All Wrong.

Dream Theater - As notas matematicamente calculadas se tornaram marca do grupo de metal progressivo Dream Theater. E isso não mudou de seu surgimento até agora, momento em que lança título que leva o nome da banda (Warner Music, R$ 36,90 em média), 12º da carreira. Mas a verdade é que a banda, no novo trabalho, ilustra as músicas com sonoridade mais coesa e poderoso.

Kings of Leon lança sexto disco de estúdio

Após passar por tempos turbulentos, com direito a briga interna e cancelamento de 26 apresentações, isso em 2011, o grupo Kings of Leon parece ter selado acordo com a paz.
O quarteto norte-americano completa uma década do lançamento do álbum de estreia e coloca nas prateleiras o novo trabalho de estúdio, Mechanical Bull (Sony Music, R$ 24,90 em média), sexto da discografia.
Gravado em Nashville, cidade de origem da banda, o disco chega ilustrado por 11 canções e tem produção assinada por Angelo Petraglia, nome que já trabalhou com como Taylor Swifft e Patty Griffin.
O Kings of Leon aposta em sonoridade leve na nova empreitada. A maior parte do projeto traz clima de harmonia, como em ComebackStory, Beautiful War e On The Chin. Um dos poucos momentos em que soa diferente é na aposta de peso Don’t Matter.

Yngwie Malmsteen - Galeria de Fotos - Carioca Club - 08/11/2013

O guitarrista sueco Yngwie Malmsteen voltou à São Paulo para divulgar seu novo cd "Speelbound" e desfilou grandes clássicos de sua discografia regados à muito malabarismo e virtuosismo. Mesmo em uma sexta feira com trânsito caótico e com o show começando pontualmente as 19 hs, o sueco conseguiu encher o Carioca Club e presenteou à todos com uma belíssima apresentação. Abaixo você pode conferir a nossa galeria de fotos exclusivas deste show.

Fotos: Ronaldo Chavenco

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Yngwie J. Malmsteen: turnê brasileira começa nessa semana

Yngwie J. Malmsteen inicia a vindoura turnê brasileira no próximo dia 7 de novembro no Teatro Positivo, em Curitiba – o músico também faz show no dia 09/11 em Porto Alegre, no Opinião. 

Em São Paulo, o guitarrista se apresenta no dia 8 de novembro (sexta-feira) às 18h, no Carioca Club. A Alive Concerts informa que os valores dos ingressos para o dia do evento e na porta do Carioca Club serão os mesmos do lote vigente. Os tickets estão à venda nos sites www.ingressorapido.com.br e www.clubedoingresso.com.br e custam R$ 180,00 / R$ 90,00 (estudante).

Promovendo o álbum “Spellbound” (2012), o guitarrista terá a companhia de Bjorn Englen (baixo), Patrik Johansson (bateria) e Nick Marinovich (teclados).

Serviço - Yngwie J. Malmsteen em São Paulo:
Dia 08/11/2013 (Sexta Feira)
Local: Carioca Club - 19h
Valores:
Pista 2 Lote: R$ 180,00 / R$ 90,00 (estudante)
Camarote: R$ 280,00 / R$ 140,00 (estudante)

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Roqueiros homenageiam Michael Jackson

Vários artistas do cenário metal mundial se uniram para regravar faixas do músico norte-americano Michael Jackson. 

Quem assina o projeto batizado Thriller - A Tribute to Michael Jackson é o guitarrista e compositor norte-americano Bob Kulick.

Entre os figurões estão Chuck Billy, vocalista da banda Testament, responsável pela canção que dá nome ao disco. Doug Aldrich, guitarrista do Whitesnake é outro que participa, ao lado do contrabaixista do Queensryche Rudy Sarzo. 


O ex-guitarrista do Kiss Bruce Kulick também faz parte da lista e assina a guitarra em Black or White. Corey Glover do Living Colour e o Motörhead Phil Campbell se unem para apresentar versão de Billy Jean. Até Paul Di' Anno, primeiro cantor da lendária banda britânica Iron Maiden, presta homenagem ao artista. No total 13 faixas completam a obra.

Confira abaixo algumas canções:

Thriller - com Chuck Billy (Testament)
https://www.youtube.com/watch?v=cxSdi90CEfg

Bad - Paul Di'Anno e Craig Gold 
https://www.youtube.com/watch?v=8RPWWuVP3ZI

Black or White - Lajon Whiterspoon (Sevendust, Bruce Kulick (es-Kiss) e Tony Franklin (The Firm). 
https://www.youtube.com/watch?v=_5pyZbxfcRg#t=16




quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Ringo Starr - Galeria de Fotos - Credicard Hall - 29/10/2013

Em sua segunda visita ao Brasil, Ringo Starr trouxe sua All Starr Band, formada por Steve Lukather (Toto) , Richard Page (Mr. Mister), Gregg Rolie (Santana), Todd Rundgren, Mark Rivera and Gregg Bissonette (Bateria), e fez um show fantástico no Credicard Hall executando clássicos dos Beatles, Toto, Mr. Mister e de sua carreira solo. Abaixo você pode conferir a nossa galeria de fotos exclusivas deste show. 

Fotos: Ronaldo Chavenco

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Veja nova turnê do Kiss

O quarteto Kiss está em turnê no Japão para divulgar o disco de estúdio Monster.

O grupo norte-americano se apresentou semana passada em Tóquio. 

Quer saber como foi o show de Gene Simmons, Paul Stanley, Eric Singer e Tommy Thayer?

Veja o show completo no link ao lado. 


Dica de show

Depois do sucesso da primeira temporada no Tom Jazz, em São Paulo, a mineiro-goiana Nila Branco volta ao mesmo palco, com a turnê de Sete Mil Vezes, novo álbum da cantora, nos dias 01 e 02 de novembro.
A cantora, que tem vinte anos de carreira, além de músicas em trilhas de novelas, também apresentará músicas de seus dois DVDs mais recentes (Nila Branco ao vivo e Confidência) e dos CDs Parte ll e Tudo o que eu quis, com direito aos sucessos Depois da Chuva e Edredom, do recém-lançado “Sete Mil Vezes”.
Foto:Maria Celia Siqueira/Divulgação
Show: Nila Branco 
Data: 01 e 02/11
Local: Tom Jazz
End: Av. Angélica, 2331 - Higienópolis - São Paulo - SP
Horário: 22h
Ingressos: http://www.ingressorapido.com.br/Evento.aspx?ID=30101

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Sepultura - Galeria de Fotos - SESC Belenzinho - 24/10/2013

O Sepultura se apresentou no SESC Belenzinho e tocou na integra o clássico "Chaos A.D", além de outros petardos de sua discografia. Com todos os ingressos esgotados a banda fez mais uma apresentação memorável. Abaixo você pode conferir a nossa galeria de fotos exclusivas deste show.

Fotos: Ronaldo Chavenco

Sepultura apresenta disco Chaos A.D na íntegra

O palco do Sesc Belenzinho, em São Paulo, recebeu na noite de ontem (24), com ingressos esgotados, apresentação especial da banda Sepultura. O grupo trouxe ao público show que comemora as duas décadas de lançamento de um de seus mais promissores discos, CHAOS A.D.

O concerto faz parte do projeto Álbum, que tem como meta remontar períodos da música brasileira por meio de discos emblemáticos. 

Com clima intimista e exalando energia, o Sepultura, que agora conta com dois músicos do ABC, Andreas Kisser (guitarra) e Eloy Casagrande (bateria), acompanhados por Derrick Green (voz) e Paulo Jr. (contrabaixo), subiu ao palco por volta de 21h30.

O repertório foi ilustrado pelo disco homenageado de ponta a ponta sem seguir necessariamente a ordem da gravação. Kisser, que esbanjou carisma, não conseguiu esconder a emoção ao ver a casa cheia e interagindo com o grupo.

Não faltaram faixas como Slave New World, Propaganda e Biotech is Godzila. Ponto alto foi quando o Sepultura tirou do bolso a música Territory, introduzida pela bateria de Casagrande. Outro grande momento ficou por conta de Reufse/Resist, cantada em uníssono.

Veja aqui galeria de fotos do show.

Momento curioso foi durante a execução do tema instrumental Kaiowas. Kisser disse que “é o tema mais versátil que o Sepultura já escreveu.” Com quase duas horas de duração a apresentação contou ainda com releituras gravadas na época de Chãos A .D: The Hunt, originalmente gravada pelo New Model Army; e Polícia, do Titãs. 

Para fechar o show a banda apresentou ainda algumas faixas de outros discos, como Arise, do disco homônimo, e Inner Self, do álbum Beneath The Remains. Ainda houve tempo para anunciar o novo disco, The Mediator Bewteen Head and Hands Must Be the Heart, que chega às lojas hoje.

O grupo se apresenta ainda hoje e amanhã, com ingressos esgotados.
Fotos: Ronaldo Chavenco

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Conhece o Necromancia?

Conhece o Necromancia?

É um trio de Santo André que milita na cena thrash metal há quase três décadas.

A banda é formada por Marcelo D'Castro (voz e guitarra), Kiko D'Castro (bateria) e Roberto Fornero (contrabaixo), o grupo tem disco novo na mão, Back From The Dead, que é nossa dica de disco de hoje.
Clique aqui para ler entrevista com a banda.
Veja aqui o site da banda.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Agenda: GBH em São Paulo

Um dos nomes mais cultuados do cenário punk mundial, o britânico GBH tem datas no Brasil reservadas na agenda. O grupo faz única apresentação em São Paulo no dia 26, a partir das 19h, no Hangar 110. 

As entradas já estão à venda no site www. hangar110.com.br e custam R$ 80. 

Nome que ganhou força ao lado de bandas como Discharge, Broken Bones, The Exploited, The Varukers e Shock Frot, o GBH chega ao País com três músicos da formação original. Além de Colin Abrahall (voz), Colin 'Jock' Blyth (guitarra) e Ross Lomas (contrabaixo), o grupo sobe ao palco apoiado pelo baterista Scott Preece, na banda desde 1992. 

O grupo aproveita a oportunidade para divulgar o novo trabalho, Perfum and Piss. O GBH nasceu em 1979 e se tornou um dos grandes nomes da segunda safra do punk rock inglês. Donos de discos como City Baby Attacked By Rats, Midnight Madness And Beyond e No Need To Panic, os músicos são responsáveis por faixas conhecidas como Sick Boy, Give Me Fire, Big Women, No Survivors, Alcohol, Self Destruct e Crush' Em. 

Soen

Para quem não conhece, nossa dica de disco de hoje é o Cognitive, álbum de estreia da banda de metal progressivo Soen.

Anunciado em 2010, a banda nasceu da ideia de músicos de grupos como Testament, Opeth e Sadus. Confira o som deles no vídeo ao lado.

O grupo é formado por Martin Lopez (bateria), Steve DiGiorgio (contrabaixo), Joel Ekelöf (voz) e Kim Platbarzdis (guitarra).

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Momento independente - Ação Direta

Conhece a banda Ação Direta, de Santo André?

O grupo completa 25 anos de estrada e mostra o novo disco, World Freak Show, com show no Sesc Santo André no sábado, dia 26. A apresentação faz parte do projeto Estúdio 7 Cidades. 


Veja como está o trabalho da banda no vídeo ao lado.

Leia aqui matéria com a banda feita pelo jornal Diário do Grande ABC.

Quer saber mais sobre o show?http://www.sescsp.org.br/programacao/13985_ACAO+DIRETA

Jason Newsted furioso

Ex-contrabaixista do Metallica, Jason Newsted está de volta aos holofotes.

Ele aposta agora na carreira solo. O músico norte-americano lança disco de banda que leva seu sobrenome.

Heavy Metal Music (Music Brokers, R$ 37,90 em média) traz 11 faixas coesas e tem produção assinada pelo músico.

A grande surpresa é ter Newsted cuidando dos vocais de sua nova banda.

O destaque fica por conta de Soldierhead, faixa que ganhou videoclipe.(Veja ao lado).

Com o Metallica ele gravou os discos como o clássico And Justice For All e o famoso Metallica, conhecido também como Black Album, entre outros.

Baterista Nenê completa 50 anos de carreira

Criador de composições ousadas, desafiadoras e ao mesmo tempo elegantes, o baterista Realcino Lima Filho, conhecido como Nenê, comemora os 50 anos de carreira e tira do forno o álbum Inverno (Selo Sesc, R$ 20 em média), 12º de sua discografia.

Leia entrevista com o músico:

Esse é o 12º disco. Como é possível se reinventar após tantos trabalhos?
Através do estudo e prática constante, tanto minha como do Alberto e do Írio. A preocupação com o tempo em que vivemos. Temos ensaios regulares com a renovação constante do repertório. 

Mudou algo na hora de gravar do que é hoje para os anos 1970, por exemplo? Pergunto isso, pois sua música é orgânica.
O nosso modo de gravar não mudou nada, sempre gravamos o que realmente aconteceu na gravação, não recortamos nada, nada de overdub. O que está no CD é o que realmente tocamos naquele momento.

Tem improviso na hora da gravação ou tudo já está muito bem organizado?
Têm os temas com os arranjos das músicas, mas a parte da improvisação é livre. Acontece o que cada um sentir.

Como é escrever suas canções, de onde brota a inspiração?
A inspiração vem do trabalho, depois de tanta experiência você desenvolve um sistema de composição própria, baseado na inspiração e na técnica, componho todas minhas músicas no piano.

De onde surgiu a ideia para o nome do novo disco?
Eu já tinha ouvido as quatro estações do Vivaldi e eu sempre gostei muito de homenagear pessoas ou países. As quatro estações no Rio grande do Sul, onde nasci, são muito marcantes. Assim como na Europa, onde vivi por 12 anos. Portanto, isso me inspirou a compor essa quadrilogia, Outono, Inverno, Primavera e Verão.

Esse é o segundo disco com esse time de músicos. Como é trabalhar com eles?
Trabalhar com Írio e o Alberto é ótimo. São dois músicos extremamente competentes. Esse trabalho com eles modificou minha linha de composição porque eu pude desenvolver uma composição mais sofisticada devido ao alto nível técnico e musical que eles possuem.

O senhor está comemorando 50 anos de carreira. Foi difícil se consagrar como baterista no Brasil?
Ainda não me considero consagrado. Eu vou buscar até o fim da minha vida a realização no aspecto musical. Eu acho que a gente deveria viver pelo menos uns 180 anos para poder realizar o sonho musical realmente. Meu pensamento funciona através da música.

O senhor encontra dificuldade em divulgar seu trabalho?
Encontro dificuldade porque a musica instrumental não tem acesso a mídia, tirando o Sesc e a rádio Cultura, a gente não consegui acesso algum. Embora a imprensa reclame da censura, nós somos censurados por ela e isso não é democrático.

Qual a maior dificuldade que passou na carreira?
Eu nunca passei dificuldade na carreira. Nunca me preocupei com problema econômico, comecei muito novo e em toda minha existência, até agora, sempre me preocupei com a música.

E quais suas melhores lembranças dessa trajetória até agora?
São várias, desde quando era bem garoto, ia na rádio Farroupilha para assistir os programas musicais ao vivo, programas de auditório, até todo o período em que toquei com grandes músicos brasileiros e internacionais: Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Elis Regina, Milton Nascimento, entre muitos. E também agora, com o trio, que considero o momento mais importante da minha carreira. 

Uma curiosidade. Como a música surgiu em sua vida e quando decidiu que tomaria esse caminho?
Nasci músico. Com 4, 5 anos ganhei um pandeiro da minha mãe e foi aí que tudo começou. Depois ganhei um acordeom do meu pai. Isso foi o início de tudo. Sempre fui músico.

Quais os próximos planos?
Dar continuidade com o trabalho do trio, conseguir completar a quadrilogia, gravando os CDs Primavera e Verão. Já estamos prontos para entrar em estúdio. E também o projeto do trio com orquestras, com arranjos e composições de minha autoria.

Fotos: Felipe Pepe Guimarães/Divulgação

Dica do dia

Conhece o Grand Magus?
A banda sueca tirou do forno o álbum The Hunt, trabalho que marca a estreia do baterista Ludwig Witt na banda.

Conhecido pelo trabalho com pegada stoner que fez em outros discos, agora o trio formado também por JB Christofferson (voz e guitarra ) e Fox Skinner (contrabaixo) aposta em sonoridade mais heavy metal no sexto disco da carreira.

Baita trabalho. Confira uma das músicas no link ao lado.Quer saber mais sobre a banda?
Clique aqui para ver o site oficial.


segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Veja novo vídeo do Korn

Sabe o Korn?

Isso, essa banda que fez um dos melhores shows no Monsters of Rock, em São Paulo, no último fim de semana.

O grupo norte-americano está de disco novo, The Paradigm Shift. Confira no link o vídeo da faixa Love & Meth.

Tony Iommi abre o jogo em autobiografia

Uma das figuras mais emblemáticas do cenário roqueiro mundial, Tony Iommi resolveu ilustrar as páginas do livro Iron Man – Minha jornada Com o Black Sabbath (Editora Planeta, 400 páginas, R$ 39,90 em média) com o que todo fã de Black Sabbath gostaria de saber.
A autobiografia trata da história do guitarrista da lendária banda britânica Black Sabbath e que atualmente divide seu tempo entre turnês e a luta contra o linfoma.
Iommi mergulha na infância, fala da vida pobre junto dos pais, e é claro, da paixão pela música. As histórias são narradas com lignuagem informal. Ao longo das páginas o leitor se depara com histórias como quando o músico perdeu a ponta de dois dedos da mão esquerda, o que quase o impossibilitou de tocar guitarra.
Mas interessantes mesmo são os causos vividos ao lado dos companheiros Ozzy Osbourne, Bill Ward e Geezer Butler. O músico fala do pai, que era brasileiro, e de momentos como o show que fez em São Paulo em 1992. 

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Sepultura em disco furioso

Se a ideia é soar furioso, coeso e renovado, o Sepultura acertou em cheio. O grupo tira do forno seu 13º disco de estúdio, The Mediator Between Head and Hands Must Be the Heart (Substancial Music, R$ 25 em média), título que coloca fim ao hiato de dois anos desde seu último trabalho, Kairos.
Para a nova empreitada, que chega às prateleiras a partir do dia 25, o quarteto resolveu resgatar uma antiga parceria, com o produtor Ross Robinson. O Sepultura havia trabalhado com ele há 18 anos, quando lançou um de seus mais conhecidos discos, Roots.
O álbum sai do forno recheado com dez composições regidas por riffs poderosos de guitarra de Andreas Kisser, que vez ou outra dão lugar ao groove, como na faixa Manipulation Is Tragedy.
Esse é também o primeiro disco com o músico andreense Eloy Casagrande a cargo das baquetas. “Escutei falar do Eloy em Santo André. Os filhos do Iggor (Cavalera) estudavam na mesma escola que ele. Foi em 2004, 2005. Acompanhei o Eloy meio de longe, em alguns programas de TV, depois tocando com André Matos e por último no Gloria”, diz Kisser.
“Agora a banda é mais do ABC do que de Belo Horizonte. Até a Monika (empresária) é do ABC”, brinca Kisser. “E eu não podia recusar esse convite”, diz o baterista. Kisser, que nasceu em São Bernardo, diz que o Sepultura tem uma relação próxima com a região. 
O guitarrista conta que o Sepultura ensaiou muito em Santo André, na época do Arise, do Chaos A.D. “A primeira música que escrevemos do Chaos A.D. foi Propaganda, e ela foi feita em Santo André, na casa de um amigo meu. A gente ensaiava lá. Eu conheci o Max e o Iggor em Santo André. O ABC sempre teve essa tradição headbanger. E foi ali que realmente tudo aconteceu.
“Espero que esse disco nos faça tocar no Grande ABC de novo. Nunca tocamos em São Caetano e São Bernardo”, diz Kisser.
Kisser conta que nesse disco ele e o baterista praticamente escreveram todo o conceito musical. “Eu e o Derrick fizemos as letras. Ele vem com as linhas melódicas. O Paulo está sempre no ensaio colocando as linhas melódicas. Foi uma química espetacular, com total liberdade de ação de todo mundo.”
The Mediator Between Head and Hands Must Be the Heart não abandona a sonoridade criada pelo Sepultura ao longo dos anos. Mas ainda assim é um disco que olha para a frente e não se prende muito a receitas.
O cantor Derrick Green solta a voz gutural e alterna trechos de calmaria, tendo frases de bateria e do contrabaixo de Paulo Jr. como pano de fundo. Kisser conta que não é difícil trazer algo novo para o som da banda.
“Tentar copiar o Chaos A.D., por exemplo, a gente até consegue. Mas iria soar como uma coisa patética. A gente ia se sentir escravo de uma situação, preso a uma ideia que não é real. Temos de viver o presente, não o passado”, afirma Kisser.
Ele conta que a inovação musical é algo que funciona naturalmente. “Temos o privilégio de viajar o mundo, de conhecer países. Toda turnê, desde 1989, vamos a algum lugar diferente. Isso mantém nossa cabeça jovem, cheia de ideias, sempre com aquela vontade de fazer coisas diferentes. A característica do Sepultura não muda. A gente é o que é, tocamos dessa maneira.” 

Vagas de trabalhos na internet: Moda, tecnologia, meio ambiente e muito mais